Modelo de Negócio do WhatsApp

Modelo de Negócio do Whatsapp

O Modelo de Negócio do WhatsApp é do tipo plataforma multilateral, pois ele atende dois grupos de clientes distintos: pessoas físicas e pessoas jurídicas. Criado essencialmente para ser um app de troca de mensagens, a plataforma do Whatsapp passou a ser também um grande canal de atendimento de empresas.

O WhatsApp é hoje o aplicativo de mensagens instantâneas mais usado em todo o mundo. No entanto, trata-se de um serviço gratuito, sem taxa de assinatura e sem anúncios. A pergunta que não quer calar é: como o WhatsApp ganha dinheiro?

Para saber disso, vamos conhecer um pouco mais desse modelo de negócios tão diferente de tudo que se vê em matéria de tecnologia e internet!

Modelo de Negócio do WhatsApp

Um breve histórico do WhatsApp

O WhatsApp nasceu em 2009 – sim, ele já tem 10 anos! – das mentes de Jan Koum e Brian Action. A ideia inicial era ser um aplicativo de atualização de status, por isso o trocadilho com a expressão “What’s up?”, algo como “E aí?” ou “Quais são as novidades?”, em inglês.

Logo em seguida, sua versão 2.0 já se transformou em um app de mensagens instantâneas, como se manteve consagrado. Uma espécie de SMS gratuito, que se utiliza da conexão via internet.

Em fevereiro de 2014, o WhatsApp foi comprado pelo Facebook, por cerca de 19 bilhões de dólares e seus fundadores entraram para o conselho da organização liderada por Mark Zuckerberg. Entretanto, pouco tempo mais tarde, ambos saíram da companhia, por desentendimentos com o dono da rede social.

Até o presente momento, o WhatsApp conta com mais de 1,5 bilhão de usuários em todo o globo.

Modelo de Negócio do WhatsApp

Qual foi a fonte de receita inicial?

Bom, inicialmente a primeira e única fonte de renda do WhatsApp foram os financiamento de investidores. A primeira rodada foram 250 mil dólares de cinco amigos ex-Yahoo, e as segunda e terceira vieram da Sequoia Capital, num total de 60 milhões de dólares.

Após, a estratégia pensada era cobrar 1 dólar por assinatura anual, depois do primeiro ano de uso gratuito. Mas, em janeiro de 2016, já nas mãos do Facebook, o modelo de assinaturas chegou ao fim. Então, esse não era mais o modelo de negócios da companhia.

Como o WhatsApp NÃO ganha dinheiro?

Uma coisa é certa: a receita do aplicativo NÃO vem de anúncios. Essa regra foi estabelecida pelos fundadores desde o início e se mantém firme – ainda que o pessoal de Zuckerberg não seja fiel à regra por simples ideologia mas, certamente, por receio de destruir um modelo de negócios consagrado.

Koum e Acton disseram desde o início que não fariam mais uma plataforma de anúncios e, sim, um serviço que as pessoas iriam querer devido à funcionalidade, e que poderiam cobrar pela conveniência oferecida, evitando a publicidade.

Modelo de Negócio do WhatsApp

Mas, então, como o Modelo de Negócio do WhatsApp ganha dinheiro?

Quem detém essa resposta é o seu aquisitor, Facebook. A companhia de Mark Z. definiu um novo modelo de negócio para o app, ao lançar o WhatsApp Business. A funcionalidade, aqui, é criar perfis de negócios que se tornarão empresas “verificadas” no app.

Isso significa que essas empresas podem linkar seu perfil entre WhatsApp e Facebook, com alguns botões funcionais entre eles, além de configurar respostas automáticas, vincular número de telefone fixo e integrar a WhatsApp Business API.

Essa nova plataforma permite que as empresas integrem seus sistemas para entrar em contato com os clientes por meio de notificações e envio de mensagens. E a receita viria justamente desse modo de comunicação: a capacidade de enviar mensagens.

As empresas só podem responder às pessoas que entrarem em contato com elas primeiro, mas a API permite que os envios de mensagens, lembretes de compromissos, convites e outras formas de comunicação interessantes às organizações sejam automaticamente programadas.

Contudo, o WhatsApp cobra pela respostas lentas. O que isso significa? Que as mensagens enviadas aos clientes dentro das primeiras 24 horas de comunicação são isentas de tarifas. Porém, todas as mensagens enviadas após esse período serão cobradas. E as cobranças variam de país a país.

E se você está pensando que esse modelo de negócios está fadado ao fracasso porque basta que as companhias respondam dentro das 24 horas iniciais, pense no volume de clientes que companhias aéreas e bancos precisam responder todos os dias.

Vale lembrar que esse modelo de negócios não infringe a regra inicial contra anúncios, porque as empresas não podem entrar em contato com clientes potencias. Apenas responder aos contatos originais.

Nesse sentido, o Facebook defende que o usuário estará usando o WhatsApp para se comunicar com empresas e organizações que ele mesmo deseja ouvir, e não o contrário.

Whatsapp Business API

Estratégias de ganhos de receita futuros

Mas Mark Zuckerberg e companhia, claro, não estão interessados em parar aí e continuam buscando formas de capitalizar seus bilhões de usuários.

Dessa forma, o WhatsApp introduziu uma opção de pagamento P2P dentro do app. Essa funcionalidade começou somente para usuário indianos. A ideia é tornar-se a aplicação favorita para envio de dinheiro nesse mercado – o maior da empresa.

Seria “dinheiro” realmente a receita do WhatsApp?

É claro que, quando falamos sobre Facebook e usuários, sempre fica aquela dúvida sobre o interesse nos dados e informações das pessoas que se utilizam da rede. Até porque o histórico da empresa nos deixou com esse amargor. Então, como não pensar no 1,5 bilhão de adeptos ao WhatsApp?

Especialistas em redes e tecnologia especulam a lógica por trás dessa aquisição milionária é justamente o acesso a dados comportamentais e informações pessoais dos usuários do app, compartilhados por meio de cerca de 60 bilhões de mensagens diárias. Todas salvas nos servidores do Facebook.

Embora Mark Z. tenha confirmado que esses dados jamais serão utilizados em prol da segmentação de clientes para os anúncios do Facebook, a confiança fica a cargo de cada um dos usuários – especialmente daqueles que permitem que o app compartilhe informações com o Facebook.

Business Model Canvas do Whatsapp

Modelo de Negócio do Whatsapp

2 thoughts on “Modelo de Negócio do WhatsApp

  1. José Milton says:

    Excelente matéria. Pelo visto trata-se de um investimento de futuro, formar uma grande base de usuários p depois disponibilizar para empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOVIDADES NO SEU

EMAIL

Quer ficar por dentro das análises dos mais diversos modelos de negócios do planeta? Assine agora e não perca nenhum novo post!